Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2013

Extra!! Posto de Coleta em Floripa

Final de semana super movimentado no mundo das provas de corrida - Maratona de SC, que ainda tinha 10km e 5km , Maratona de Berlim com recorde, e aqui em Blu ainda tinha a corrida pelo imposto eficiente. Não fiz nenhuma delas. Treinei. Mas ainda assim tenho muito o que conversar....mas não hoje. Antes disso, e  porque é beeeem mais importante, a notícia ótima da semana é que agora tenho um parceiro em Floripa para receber os tênis usados: a Loja Korrer, na Rua Bocaiúva, 1973 (esq. com a Travessa Abilio de Oliveira), recem-inaugurada, do querido Denis Hardt!! Estou muito feliz, nós conversamos, ele vai apoiar nossa campanha, inclusive com um belo desconto no Gel Noosa Tri 8, que virá diretamente da loja para o sorteio!! Assim, vamos continuar com as doações ainda esta semana, aqui nos postos já conhecidos e lá em Floripa na loja Korrer, ate sábado, quando vou retirar as doações com ele e já trago o par de tênis, para estabelecer o dia do sorteio na semana que vem, bem como a entrega s…

Até o Muttai...

Começou a correr usando tênis e roupas de corrida usados. Sabem quem é ele? Geoffrey Muttai é queniano, corredor, dono do recorde não registrado em maratona. Com tempo de 2h03min02seg (abaixo do recorde da época), ele venceu a maratona de Boston em 2011, mas "não valeu", porque o percurso da prova não é sancionado para efeitos de recorde por conta de ser num só sentido, em descida, blablabla. Desde então, embora ele já tenha vencido muita coisa, sonha em bater o recorde na maratona, que pertence a outro queniano (jura?). E ele, o Geoffrey, segundo a reportagem da O2 deste mês, não tinha dinheiro para comprar tênis, e, pobre que era, sua diversão era correr, ficava feliz. Só que era bom. Com 17 anos, ele treinava de manhã e à tarde trabalhava no sistema penitenciário do Quenia., em um sistema muito louco em que instituições acolhem semiprofissionais, que em contrapartida cumprem com obrigações junto a tais entidades. Em Blumenau tem muita gente talentosa no atletismo, e muitos …

Saudade de um treino ruim!!

Então no sábado estava chovendo. Treino do dia: pedal e corrida de transição, leve, para ir acostumando a correr depois de pedalar. Lá fui eu, assim como outros tantos, para a academia que abre no sábado (eeeee!!!), pedalar com o pessoal. Só que não, porque quando eu cheguei eles já estavam terminando.  Tudo bem, vida de mãe é assim mesmo. Camila prima ficou mais um pouco,  Andreas fez mais quarenta e cinco minutos comigo, o Everton deixou a música ligada, já foi animadinho. Dali, direto para a esteira, 3km. Muito fácil, na verdade. Suei na bike, sim, fiz lá minhas montanhas, mas fui no bebedouro, enchi a garrafinha, fui para a esteira, liguei a tv num programinha legal de culinária (sempre), e quando terminei, juntei as coisas e vim tomar um banho quentinho em casa e esperar a enchente agarrada na família,  que é tudo o que nos resta ante a certeza da sua vinda. Uma tristeza. Fácil demais esse treino. A vida real não é assim. Na vida real eu pedalo contra o vento, subo morro de verd…

Dez Milhas!!

Quando eu corro meia maratona (o que não acontece muitas vezes), é lá pelo  km 16 que eu fico não exatamente cansada, mas me questionando, achando que 21km é muito (e para muitas pessoas nem é), que eu não precisava me meter nessa...dali em diante normalmente a tática é: não pensar, só correr. Então, quando vejo provas de dez milhas, que são 16km e uns metros, fico super empolgada, mas aqui em Santa Catarina, que eu saiba, nunca tem. No ano retrasado, teve aquela que largava e chegava no Hotel Parador, linda prova,  em trilhas e praias. Fui em busca do circuito dez milhas, tem da Mizuno e tem da O2. Por questões de data, consegui encaixar a da O2 de São Paulo com uma viagem em família de micro férias. Demorou muito para aparecer no site o local de retirada dos kits e o percurso da prova. Para quem sai de outro estado para fazer, sempre dá uma certa aflição.  A retirada dos kits era na loja Mundo Corrida, que estava toda em promoção, praticamente uma feira. Ótimo. Essa prova tinha 10m…

Ainda dá tempo!

Imagem
Nos últimos dias a campanha de doação de tênis tem aparecido na mídia, legal, né?
Estou super feliz, e atendendo a algumas solicitações especiais, decidi estender até dia 30 o prazo para as doações, como já está no Jornal de Santa Catarina (obrigada pelo espaço).
Não esqueçam de cadastrar o número recebido aqui no blog, no post do regulamento, para concorrer ao tênis Noosa Tri. O sorteio é entre os números que estiverem cadastrados!!!
Amanhã conto da corrida de dez milhas de São Paulo que fiz domingo, uhu!!




Para gostar do novo, tem que aprender...

Quando eu estava na faculdade e durante minha carreira como advogada,  nunca gostei de direito administrativo. Achava chatíssimo. Quando resolvi fazer concurso, logo pensei na tristeza que seria estudar direito administrativo, e como eu demoraria para aprender, já que não tinha sido o meu forte na graduação. Ledo engano. Comecei a estudar pelos livros certos, conversar com as pessoas que sabiam a matéria e sabiam conversar sobre a matéria, e me encantei. Não a ponto de querer trabalhar com isso, mas o suficiente para me motivar a estudar e fazer sempre uma boa pontuação nas provas. Os meus professores de direito administrativo eram  competentes, claro, mas não rolou empatia. Nenhum deles conseguiu se conectar comigo. Diferentemente de direito civil. Tive a melhor professora do mundo, a Leilane, que além de ser excelente, me deixava feliz em ir para a aula. Ela me ensinou direito civil, me ensinou a ser professora, me ensinou ética...nossa, é uma professora de vida. E minha amiga. Iss…