Empoderadas em Blumenau


Ai, que blogueira fuleira que não posta as novidades...eu estava cuidando dos acontecimentos e de todo o resto da vida que tenho que dar conta, mas com uma parte do cérebro aqui, pensando em quanta coisa legal conseguimos fazer em tão pouco tempo desde que pensei no treino feminino e virou o nosso Mulheres que Correm. 
Quando pensamos em fazer a  edição do Treino Coletivo Mulheres que Correm em Blumenau tínhamos o sentimento de que seria bem legal, mas não fomos capazes de imaginar a energia que teríamos ali.
Tivemos muita gente maravilhosa que acreditou na ideia de empoderamento feminino pela corrida e que embarcou conosco na nossa viagem. Os apoiadores e patrocinadores, mais uma vez, tinham a nossa cara: viver  bem os momentos felizes, que se tornam memoráveis.
Uma das coisas que sempre pensamos sobre o treino era a ideia de cada uma poder ir lá e projetar seu desejo da forma que quisesse: começar a correr, correr finalmente uma distância específica, correr com outras pessoas, fazer amizades na corrida, correr com alguém junto, melhorar seu tempo, melhorar sua saúde, emagrecer correndo, e sempre encontrar a felicidade pelo caminho. Sabemos que na corrida, especialmente em dia de prova, tem vezes que a felicidade vem só no final, seja pelo objetivo cumprido, seja pelo fim do sofrimento (quando é isso que acontece), seja simplesmente pelo processo químico de produção da endorfina.
E se você pode literalmente aproveitar aquele momento pós corrida, o da celebração, realmente celebrando...muuuito melhor, não é? Isso que queremos!!
A verdade é que a maioria de nós não tem vida de atleta. Porque estamos muito ocupadas tendo vida de mulher polva, que dá conta de muitas atividades, e quer que a corrida esteja entre elas. Nem sempre, portanto, pode ser uma prioridade. Eu sempre falo que se você quer correr, tem que tratar como compromisso. Daqueles que não pode faltar. Depois que a gente sai para correr, tudo faz sentido, e ninguém se arrepende de ir, só de ter ficado em casa. 
Claro que podemos e devemos nos inspirar e aproveitar muito da vida das atletas profissionais, o que inclui uma boa alimentação, de qualidade, conforme sua proposta conversada e orientada por nutricionista para os seus objetivos. Regularidade de treinos, planilha bem feita, disciplina...e tem o sono. Ah, o sono. Todo atleta fala em entrevista que dorme bastante, porque o descanso faz parte do treino. A gente até descansa, no sentido de fazer dia off, mas não tem off da vida de mãe, nem de profissional, de esposa, de namorada, de filha...o cansaço é outro. E as horas de sono são geralmente as sacrificadas. Na verdade, quando eu vou dormir, não é porque tenho consciência da importância do repouso. Estou é exausta mesmo!
A gente usa o que consegue, e inveja o resto. Mas não tudo. Importante lembrar que elas vivem disso e os resultados esperados são sempre os melhores possíveis (às vezes impossíveis). E não tem chopinho com amigas, nem um show até de madrugada, nem ficar de salto sambando, porque o pé tem que estar perfeito e pronto para os tênis. 
E o que isso tem a ver com o nosso treino? Tudooooo!!!
Nós temos a corrida como a nossa alegria! Nosso momento, nossa terapia, nossa meditação, nosso encontro com amigas. E isso combina com o resto da nossa vida. Mulheres que correm são mulheres que comem, que bebem (se quiserem), que celebram. Também são mulheres que choram, que se frustram, que mudam de ideia.
E o treino é para essas mulheres reais. Tem iogurte Bem Livre, cheio de probióticos, tem Barrinha de proteína natureba total da Leite Vivo, tem bolo delicia sem veneno da Mascavo, salada de frutas da Cia da Saúde, espaço no Bier Vila para nossa bagunça organizada, tem nutri Kátia, tem Lojas Hardt com suas opções mara e atendimento show... e também tem espumante da Decanter, cosméticos para nos segurar mais tempo lindas, da Jeunesse e da Mimos da Beleza, tem cerveja Maniacs...fora aqueles que simplesmente acreditam no empoderamento através da corrida, como a Unica Locadora. Mas somos nós, querendo tudo o que for possível. E isso é o que merecemos.
Nossa intenção é sempre fazer algo que seja como gostaríamos de ter. Quando vi o kit pronto, pensei: nossa, como eu quero participar disso. Quando montamos tudo para esperar as corredoras, pensei a mesma coisa. E ver todas chegando, alongando e aquecendo com a Grazi e sua competência incrível,..só aumenta a vontade. Ana Ruschel comandando o microfone, e todas com aquela vida toda...ah, que sentimento indescritível. Isso tudo só foi possível porque temos Giovana, a BAP, que cria a arte toda e faz tudo ficar com cara de magia e glamour. Como merecemos. No final, aqueles rostos suados com a cara da loucura que é autoexplicativa. 
Espero que todas tenham gostado, e se divertido, e também descoberto coisas novas sobre si mesmas. Tivemos várias estreantes, devidamente aplaudidas ao final, porque descobriram que são mulheres que correm!! 
O treino foi no feriado do dia 2 de novembro. Sim, é um feriado triste, dia de Finados. Eu acredito que aqueles que não estão mais aqui conosco querem mais é que a gente celebre a vida, com todo o respeito. Podemos render nossas homenagens, e mostrar que aproveitamos o tempo em que estamos por aqui. 
Um treino assim renova as energias e nos mostra que podemos tentar uma prova nova, distãncia diferente, cidade diferente, forçar mais ou menos...o treino é o momento da descoberta para a evolução. Eu penso assim.
Muito obrigada a todas que foram e ano que vem teremos mais, com certeza. Nossas mentes fervilham de ideias. Quem também tiver, me conta, adoro novos olhares. 
Agora é hora de dar aquela reduzida, eu estou bem cansada do ano, mas não tão cansada para dispensar comemoração.  
E depois dessa eu volto para os assuntos pendentes...meia maratona de Florianópolis, corrida em Itapema...nunca é tarde para falar de correr. A canelite está quase boa, mas tenho que cuidar ainda, que bom que este ano não tenho mais muitas aventuras. 
Enquete final antes dos próximos: onde você gostaria de um treino feminino de corrida em 2017? 
Beijos, boa semana!!





Comentários

  1. Olá Andrea!
    Como foi a meia maratona de Floripa?
    Nossa! Que legal este tipo de treino, fico emocionada quando vejo mulheres mobilizando-se por suas próprias escolhas. Com certeza este treino feminino de corrida foi uma grande conquista, parabéns!
    Adoraria que tivesse um destes aqui em Floripa...
    Um grande abraço e boas corridas!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A história de alguém fora do grupo de risco: de amiga de infância a coleguinha na corrida, com vocês a meiguice da Priscila Leite!

E para fechar com chave de ouro, quem eu quero ser quando crescer...Carol Sena!!

Gente como a gente, em busca do seu melhor: Ana Paula Martins e sua alegria!!